Eu Sou o Número Quatro - Pittacus Lore

Título: Eu Sou o Número Quatro
Autor: Pittacus Lore
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 350
Avaliação: ♥♥♥♥
Sinopse: "Nove de nós vieram para cá. Somos parecidos com vocês. Falamos como vocês. Vivemos entre vocês. Mas não somos vocês. Temos poderes que vocês apenas sonham ter. Somos mais fortes e mais rápidos que qualquer coisa que já viram. Somos os super-heróis que vocês idolatram nos filmes e nos quadrinhos — mas somos reais. Nosso plano era crescer, treinar, ser mais poderosos e nos tornar apenas um, e então combatê-los. Mas eles nos encontraram antes. E começaram a nos caçar. Agora, todos nós estamos fugindo. O Número Um foi capturado na Malásia. O Número Dois, na Inglaterra. E o Número Três, no Quênia. Eu sou o Número Quatro. Eu sou o próximo."


Para dar continuidade às resenhas literárias do blog, pensei em trazer para vocês algo que seja realmente instigante e criativo, então lhes apresento “Eu Sou o Número Quatro”, o primeiro livro da série “Os Legados de Lorien”, escrito pelo enigmático Pittacus Lore (pseudônimo), um ancião lorieno a quem foi confiada a história de nove Gardes. Chega de blá blá blá e vamos logo a resenha!
Desde os tempos mais remotos, a humanidade sempre perguntou se existe vida em outros planetas. Pessoas afirmam ter estabelecido contato com outros seres, alguns acreditam que eles estão entre nós, usando os mesmos espaços públicos e ambientes do nosso dia a dia. Este é um fato, desde que os mogadorianos invadiram o planeta Lorien, onde quase toda a população fora dizimada, com exceção de nove crianças que escaparam em uma nave que tinha como destino a Terra. Elas eram chamadas de Gardes, e cada uma delas possuía um protetor, mais conhecidos como Cêpans. A partir daquele momento, a Terra serviria de uma moradia para todos eles, mas não será uma tarefa fácil viver escondido e fugindo dos mogs, uma vez que os Gardes representavam a esperança de Lorien.
Enumerados de 1 a 9, as crianças só poderiam ser mortas de acordo com a ordem numérica, e caso isso acontecesse, uma marca de seu respectivo símbolo surgiria na perna dos Gardes sobreviventes. Já se passaram 11 anos desde que eles vieram para o nosso planeta. O número 1 foi morto na Malásia, o número 2 na Inglaterra, já o 3 foi perseguido e capturado no Quênia. Agora é a vez do número 4, e John Smith sabe disso melhor do que qualquer um.
Atualmente, John e seu Cêpan Henri se encontram na pacata cidade de Paradise, no estado de Ohio. A aflição aumenta a cada instante ao saber que os mogadorianos estão atrás dele neste exato momento. Os lorienos não levam uma vida normal aqui na Terra, falsificando documentos e imigrando para diferentes regiões do país.
John é forte, mas sabe que terá uma longa jornada, aliás, ele está matriculado em uma escola que é repleta de alunos de todos os tipos, desde os valentões do time de futebol, até os nerds maníacos. Sam Goode era assim, um jovem fascinado por extraterrestres, e também um dos alunos mais excluídos do colégio, uma vez que ele afirmou que o seu pai (desaparecido a certo tempo) fora capturado por aliens. Sempre sendo zoado pelos outros, Sam nunca perdeu as esperanças de encontrar o pai, ainda mais porque arranjara um grande amigo, John Smith.
Henri, além de guardião, era o ‘professor’ de John, e tinha como principal objetivo aperfeiçoar os legados (poderes) pertencentes ao número 4, que aos poucos começaria a aparecer. Eles precisavam estar preparados para quando a hora chegar, mas nem tudo é tão fácil quanto parece. Sarah, uma jovem colega de turma de John fez despertar nele um dos sentimentos mais primitivos, o amor, colocando em risco a missão dos lorienos na Terra. Sabendo que os mogadorianos estão cada vez mais perto de Paradise, chegou a hora da grande batalha.
De todas as séries que já li, “Os Legados de Lorien” é a que eu mais gosto e aprecio. Não só pelo fato de possuir como foco da história os lorienos, mas também a exploração do tema: “vida extraterrestre”, da qual acho fantástico. Eu sou o Número Quatro é um livro que por mais que você tente, é quase impossível esquecer-se dos personagens e os altos perigos vividos por eles. Não é a toa que acabou ganhando uma adaptação para o cinema, e que assim conquistou milhares de fanáticos por filmes ao redor do mundo. Acabei de ler O Poder dos Seis, a continuação da série, e daqui a pouco vamos ter resenha dele aqui no blog.
Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário